TBT

2017: O ENCONTRO COM A GRANDE MESTRA FERNANDA MONTENEGRO

O TBT desta quinta, 15 de outubro, Dia dos Professores é o registro fotográfico do encontro que tive com a grande mestra da arte no Brasil, a senhora Fernanda Montenegro. Além da incomparável atriz que todo mundo conhece, posso acrescentar por experiência que é um doce de criatura num encontro pessoal. Nos reunimos no prédio da Cúria da Arquidiocese do Rio de Janeiro para a entrega de uma Menção Honrosa concedida a ela pela CNBB por ter atuado em dois longas premiados pelos bispos: Eles não usam Black Tie, de Leon Hirszman e Central do Brasil, de Walter Salles.

Ela foi a primeira do grupo de premiados a chegar. Veio acompanhada de uma amiga, esta senhora que aparece no fundo da fotografia. Estava quente. Era março de 2017. Ela se acomodou numa sala com muita simpatia e falou de muitas coisas. Eu a recebi e fiquei fazendo hora até que os outros chegassem. Ela me disse que sempre foi pontual e que gostava muito de Dom Orani Tempesta. Achava que ele tinha uma missão muito especial e que as intervenções dele eram sempre interessantes.

A foto, propriamente, foi tirada depois da gravação da entrega das Menções que também contemplaram os atores Rodrigo Santoro, a atriz Dira Paes e o deiretor Silvio Tendler. O filme da Dira Paes, “Esse homem vai morrer: um faroeste caboclo”, premiado pela CNBB, contava a história de Pe. Ricardo Rezende, este simpático senhor que observa dona Fernanda comigo, na fotografia.

Eu li o livro que Fernanda escreveu: “Prologo, ato, epílogo“. Uma autobiografia feita sem nenhum tipo de apelo para sua própria, mas uma verdadeira aula sobre o teatro brasileiro. Ela repassa todas as produções das quais participou e ainda cita outras de colegas, além de teorizar sobre a arte e o amor pelo próprio ofício. Não é uma biografia com banalidades. É tudo como ela mesma é: simples, profundo, inesquecível.