LI, VI, OUVI, ESCREVI

ALDEIA SÍRIA AONDE SE FALA AINDA HOJE A LINGUA DE JESUS É ATACADA

A notícia é do “Vatican Insider”, um serviço do jornal “La Stampa” de Turin. Muitas famílias do lugar falam a mesma língua que Jesus falava há dois mil anos. É um dos últimos lugares onde se pode encontrar quem saiba esse tipo de aramaico. Leia o texto traduzido do inglês, pelo Google, claro, com alguns retoques do blogueiro.

Na quarta-feira 04 de setembro, o grupo sírio de milícia islâmica, Jahbat al-Nusra, que está ligado à al-Qaeda, atacou a aldeia cristã de Maalula, que fica a 56 km a nordeste de Damasco. De acordo com a informação dada pelo Observatório sírio para Direitos Humanos, com sede em Londres,  uma organização próxima da oposição síria, um posto de controle do exército que fica na entrada da aldeia foi aparentemente tomado pela milícia islâmica, graças, em parte, a um atentado suicida. Uma freira ortodoxa emitiu um comunicado anônimo para algumas agências de notícias internacionais, confirmando que os islâmicos estão nas montanhas que cercam Maalula e que estão atirando na cidade desde ontem, quinta-feira, 5 de setembro.

A cidade rochosa de Maalula é um dos lugares em que a Síria é mais queridos para os cristãos de todo o Oriente Médio. Alguns dos moradores locais ainda falam o aramaico, a língua falada por Jesus. A cidade abriga o Santuário de Sérgio e Baco (dirigido por sacerdotes greco-melquita) e o Santuário de Santa Tecla, que foi construído em torno de uma caverna sagrada onde, segundo a tradição local, uma discípula de São Paulo passou sua vida de ascese e oração solidária bebendo da água de uma fonte milagrosa.

Os visitantes do Santuário de Santa Thecla devem entrar descalços e rezar ajoelhados ou sentados em esteiras, como faz um fiel dentro das mesquitas. Antes da guerra, as freiras ortodoxas acolhiam peregrinos no Santuário e cuidavam de mais de 50 o órfãos que o Estado, agora, colocou sob seus cuidados.

Foto do site

http://vaticaninsider.lastampa.it

Rafael Vieira, 6.9.2013