ESPECIAL

Que benefícios traz a meditação?

As respostas físicas ao estado alterado de consciência já foram exaustivamente comprovadas: aatividade do sistema nervoso simpático cai, os batimentos cardíacos diminuem, o metabolismo fica mais lento, o fluxo sanguíneo descresce. São reações que ajudam a reduzira hipertensão, dores, enxaquecas, depressão e outros males do nosso tempo. O estado de “alerta e tranquilidade” faz mentes mais espertas: a atividade elétrica cerebral mudae, em vez daquela tempestade usual de sinais descentralizados, a pessoa experimenta o alívio de grandes quantidades de neurônios em harmonia. A meditação libera endorfinas, substâncias que provocam alegria, e reduz a produção dos inimigos da juventude, como adrenalina, cortisol e radicais livres. Quem medita responde melhor às dificuldades e as pressões diárias, segundo pesquisas reunidas pelo psicólogo Daniel Goleman. No livro A Mente Meditativa, ele diz que o hábito aumenta a velocidade de raciocínio e as capacidades de concentração e aprendizado. Há estudos universitários provando que a meditação pode reverter fobias, obesidades, vícios. E omercado está cheio de tecnicas para a redução do estresse, aumento do “poder pessoal” etc. Por mais apetitosos que sejam esses apelos, eles nada são diante do sentido máximo da medditação. O real contexto da prática é a vida espiritual. Com o simples ato de ser e se observar, é prossível transcender a consciência ordinária, achatar as mesquinharias da vida, aumentar o senso de comunhão com o todo.

Heloisa Helvécia com Ana Holanda

Revista Vida Simples, Editora Abril