ESPECIAL
letter

Livre leve e solto – a liberdade de ficar sem roupa

Naturismo, nudismo, peladismo. O nome varia, mas a sensação é a mesma: ficar sem roupa, à vontade, uma experiência tão forte que cativa muita gente ao redor do planeta. Na Alemanha, onde a p´ratica nasceu como uma terapia da saúde, a helioterapia – banhos de sol com o corpo nu para combater várias doenças -, são mais de 2 milhões de praticantes. No Brasil, há 250 mil adeptos  cadastrados. Para a Psicanalista Terezinha Mendonça, doutora em ciências sociais e presidente do Instituto de Estudos da Complexidade, trata-se de uma p´ratica com sentido político. “Os naturistas almejam romper com certos padrões de conduta, recuperando um modo mais espontâneo da nossa capacidade gestual e expressiva. Buscam libertar-se do ônus imposto pelo culto do corpo perfeito”, ela diz. Mas para Pedro Ribeiro, presidente da Associação Naturista da Praia do Abricó, próxima do Rio de Janeiro, o conforto também importa. “A sensação do naturista é de grande bem-estar. É um alívio não ter roupas apertando qualquer parte do corpo.”

Léa Maria Aarão Reis, Revista Vida Simples, dezembro de 2004