ESPECIAL

O que é sexto sentido?

Yury Vasconcelos, Revista Vida Simples, Editora Abril

Há dois tipos de definição para o termo. Segundo estudiosos da paranormalidade, trata-se de uma série de habilidades especiais, entre elas telepatia, clarividência, precognição (capacidade de ver o futuro), retrococognição (capacidade de reconhecer o passado) e telecinese (influência direta da mente sobre a matéria). “Com o sexto sentido, percebemos coisas para além do mundo palpável. Ele não está relacionado ao místico e ao religioso, mas a certos estados mentais”, afirma o físico Álvaro Luiz Tronconi, vice-coordenador do Núcleo de Estudos dos Fenômenos Paranormais da Universidade de Brasília (UnB). A outra definição diz que o sexto sentido nada mais é que nossa intuição, aquela voz interna que, vez por outra, nos diz o que devemos ou não devemos fazer. Segundo Tronconi, qualquer que seja a capacidade relacionada ao sexto sentido, ela é inata e faz parte da natureza humana. Portanto, todos nós temos. “É só exercitar. Para isso, existem diversas técnicas apropriadas que ajudam no estímulo e no controle do sexto sentido”. Como a maioria das manifestações do fenômeno provém de relatos de difícil comprovação, não há trabalhos científicos que reconheçam sua existência.