LI, VI, OUVI, ESCREVI

COM QUEM O PAPA CONVERSA FREQUENTEMENTE?

Marco Tosatti é um daqueles jornalistas que, aqui na Itália, são conhecidos como “Vaticanistas”, isto é, especialistas na análise de situações e fatos que ocorrem no Vaticano. Eles conhecem bem a matéria porque convivem, muito de perto, com as particularidades da Santa Sé. Neste sábado, 19 de outubro, Tosatti publicou artigo no site “Vatican Insider”, no qual procura levantar nomes de pessoas que poderiam ser de muita confiança do Papa Francisco e com as quais ele costuma se aconselhar. Veja ai:

QUEM ACONSELHA O PAPA?

Aqui estão retratos de pessoas que o Papa Francisco escuta: são cardeais, bispos, sacerdotes e uma mulher, Francesca Immacolata Chaoqui.

Marco Tosatti

CIDADE DO VATICANO

Vatican Insider

Uma das perguntas mais freqüentes por trás dos muros do Vaticano (e um pouco além) é: com quem Papa Francisco tem contato regular? Quem o aconselha? A quem ele ouve? Uma dessas figuras é Monsenhor Fabian Pedacchio Leaniz, um funcionário da Congregação dos Bispos e secretário particular não oficial, mas altamente eficiente para o Papa, um pouco como – mutatis mutandis , é claro – como Stanislao Dziwisz foi para João Paulo II.

Mas depois de um bom número de consultas, os nomes de alguns outros indivíduos começam a surgir, alguns deles vêm como surpresas. Um nome que não é surpreendente, no entanto, é o de Cláudio Hummes, cardeal brasileiro, que antigamente era Prefeito da Congregação para o Clero e disse ser um dos “grandes eleitores” de Bergoglio . Ele fez campanha com sucesso para a eleição de Francisco no último Conclave e estava ao seu lado quando Francisco apareceu na varanda da Basílica de São Pedro, quando o novo Papa foi apresentado ao mundo.

Depois, com mais de 80 anos de idade, o britânico cardeal Murphy O’Connor, que interpreta um papel menos importante no centro do palco. Ele certamente não tem o “olho no olho” com era com o Papa Bento XVI quando se tratava de questões relacionadas com bispos, mas agora no novo pontificado ele parece ter ganhado importância e Francisco o consulta muitas vezes. O Núncio na Grã-Bretanha parece estar consciente disso e os dois, aparentemente, falam mais regularmente do que antes.

Há, ainda, o cardeal hondurenho Oscar Maradiaga, membro da Ordem Salesiana. Há uma chance de que ele poderia ser apontado como o chefe de uma das Congregações e se mudar para Roma, agora que tem a idade madura de 73 anos.  O Papa já caminha para os 77 anos. Membros da Cúria dizem que ele é um conselheiro chave para o papa Francisco como também é o cardeal chileno Errazuriz Ossa. Cardeal Ossa é outro membro do Conselho de oito membros que se encontra com o Papa para discutir a reforma Curia  e da Igreja .

Mas há também alguns italianos que fazem parte do “conselho secreto” do papa Francisco, se assim se pode chamá-lo. Um deles é o Cardeal Giuseppe Bertello, o governador da Cidade do Vaticano. Cardeal Bertello serviu como Núncio para a Itália antes de ser governador, pensando – como o ex secretário de Estado tinha sugerido – que ele seria nomeado chefe da Congregação para os Bispos Ele nunca teve a última posição porque o Cardeal Fernando Filoni, que atualmente lidera a Congregação, agiu com maior habilidade e determinação.

Outros italianos que colaboram estreitamente com o papa Francisco incluem Carlo Maria Viganò, Núncio para os Estados Unidos – e avesso a qualquer coisa que tenha cheiro de Ratzinger e Bertone . E o ex-mestre de cerimônias, Mons. Piero Marini , que alguns acreditam que desempenhou um papel importante nas substituições discutidas pelos consultores da Congregação para o Culto Divino. Finalmente, um outro cardeal cujo conselho é levado muito a sério – e pode-se entender por que quando dá uma olhada em seu currículo – é Juan Ignacio Arrieta Ochoa de Chinchetru, um bispo espanhol que lecionava na Pontifícia Universidade da Santa Cruz, um canonista da Penitenciaria Apostólica e coordenador da comissão que supervisiona o Banco do Vaticano ( IOR) .

Mas há também uma mulher que passou a Casa de Santa Marta em um bom número de ocasiões – incluindo encontro recente para se encontrar com o Papa e apresentá-lo a várias pessoas. A mulher em questão é Francesca Immacolata Chaoqui . Chaoqui foi motivo de manchetes – nem jornais e na web – algumas semana atrás, quando ela foi indicada como membro da comissão criada em julho para reformar a administração financeira do Vaticano. Bergoglio, aparentemente, encontrou-se com ela em clima amigável em um número de ocasiões.

E depois há o telefone, que o Papa Bergoglio usa com extrema facilidade, e é claro que aí o segredo é mais denso. Mas parece que há também alguns jornalistas, amigos de longa data do então cardeal , entre os contatos.

http://vaticaninsider.lastampa.it/

Rafael Vieira, 19.10.2013