LI, VI, OUVI, ESCREVI

COMISSÃO PARA PROTEÇÃO DAS CRIANÇAS CONTRA ABUSOS SEXUAIS

O Jornal americano “National Catholic Reporter” traz noticia dada na Coletiva de Imprensa da Santa Sé na tarde desta quinta-feira, 5 de dezembro: Santo Padre define a criaçao de comissao para estudar, refletir sobre programas de proteçao às crianças e para acompanhar casos de abusos sexuais.

Joshua J. McElwee

Nationa Catholic Reporter

Papa Francisco ordenou, nesta quinta-feira, 5 de dezembro,  a criação de uma nova comissão na burocracia central da Igreja com a tarefa de assessorar o pontífice em salvaguardar as crianças do abuso sexual e trabalhar pastoralmente com vítimas de abusos. O cardeal Sean O’Malley, de Boston, Estados Unidos,  o único americano entre os oito cardeais que aconselham o Papa sobre a reforma da igreja, anunciou o novo grupo em uma Coletiva de imprensa. Criação da nova comissão, segundo ele, veio com sugestão do grupo de cardeais, conhecido formalmente como o Conselho dos Cardeais.

O’Malley disse que o papa não determinou os detalhes de como a comissão funcionará nem onde vai entrar na burocracia do Vaticano, mas o cardeal disse que deve ser composto por uma variedade de especialistas internacionais e incidirá sobre o aspecto pastoral do clero diante da continuação dos abusos sexuais. “Até agora, o foco tem sido dado às peças judiciais, mas a resposta pastoral da Igreja é muito, muito importante e ao Santo Padre está preocupado com isso”, disse O’Malley . “E assim, nós  consideramos que é importante ter uma comissão de especialistas que seria capaz de estudar algumas destas questões e trazer recomendações concretas para o Santo Padre e isso para a Santa Sé será também muito importante”, disse ele. Este grupo, disse O’Malley, pode incluir sacerdotes, religiosos e religiosas, e leigos.

“Todos aqueles que são especialistas na obra de salvaguarda crianças e todos aqueles que foram cuidar das crianças ” será considerado para servir na comissão , disse ele. O anúncio da nova comissão vem em meio a notícias, veiculadas no início desta semana, que o Vaticano se recusou a fornecer informações solicitadas por uma comissão das Nações Unidas sobre a forma como a igreja lida com investigações sobre abusos sexuais por padres. Respondendo a uma pergunta, feita em julho,  pelo Comitê da ONU sobre os Direitos da Criança, o Vaticano disse que os casos de abuso sexual por padres eram essencialmente da responsabilidade dos bispos individuais do mundo.

Os relatos de abuso sexual também continuaram a balançar a igreja em diferentes partes do mundo. Nos Estados Unidos, a arquidiocese de São Paulo e Minneapolis enviou um email para seus sacerdotes advertindo-os de que a arquidiocese planeja lançar um novo relatório que indica que quase metade das paróquias da arquidiocese tinha um padre acusado de abuso atribuído a eles. Arcebispo John Nienstedt, de St. Paul e Minneapolis, foi alvo de críticas dos católicos na diocese por não lidar apropriadamente com padres acusados ​​de abuso.

Perguntado por NCR (National Catholic Reporter) se o novo grupo também seria responsável por dar sugestões para o Papa sobre como lidar com bispos como Nienstedt que são criticados por não informar a respeito dos sacerdotes que cometem abusos, O’Malley disse que não sabia disso. “Isso é algo que a igreja precisa enfrentar “, disse ele, afirmando, no entanto, que não sabia se aquele bispo iria ser abordado pela nova comissão, pela Congregação para a Doutrina da Fé, ou pela Congregação para os Bispos.

Entre as responsabilidades da nova comissão, O’Malley disse que teria o estudo dos atuais programas de salvaguarda da criança “para participar com sugestões para novas iniciativas ” por parte do Vaticano , em colaboração com os bispos e líderes de ordens religiosas do mundo inteiro. A comissão, disse O’Malley, também irá avaliar outros temas: orientações para a proteção das crianças, programas de formação sacerdotal , protocolos de ambiente seguro , e os códigos de conduta pessoal.

O grupo de cardeais tem se reunido no Vaticano desde terça-feira e vai concluiu suas sessões nesta quinta-feira. O grupo, que inclui prelados de seis dos sete continentes, reuniu-se pela primeira vez outubro. Hpuve Coletiva de imprensa nos dois primeiros dias nos quais o porta-voz do Vaticano, o padre jesuíta Federico Lombardi disse que o grupo está estudando amplas revisões da burocracia do Vaticano , conhecida como a Cúria Romana. “Os cardeais estão avaliando o trabalho de cada um dos escritórios do Vaticano”, disse Lombardi.

O Cardeal Sean O’Malley disse também, nesta quinta-feira, que o grupo de cardeais tinha proposto a nova comissão sobre abuso sexual ao Papa na quarta-feira, e o pontífice veio aprová-la nesta quinta, de manhã. Mas a ideia de criar uma nova comissão sobre abuso sexual pode ter sido um pensamentos do próprio Papa  desde a reunião de outubro do grupo dos oito cardeais . Uma fonte disse ao NCR que a questão tinha sido abordada pelos cardeais e se esperava que o Papa viria, no encontro seguinte, anunciar uma nova iniciativa sobre o assunto.

A próxima reunião do grupo de cardeais será realizada de 17 a 19 fevereiro. Pe. Lombardi disse, nesta quinta-feira, atualizando os anúncios anteriores do Vaticano de que a reunião de  fevereiro incluiria  17 e 18, ou seja, o grupo está tomando mais um dia juntos.

[Joshua J. McElwee é correspondente nacional NCR. 

Seu endereço de email é [email protected] . Siga-o no Twitter: . @ Joshjmac]

www.ncronline.org

Foto: Famiglia Cristiana

Rafael Vieira, 5.12.2013