LI, VI, OUVI, ESCREVI

CONFUSÃO SUIÇA POR CALENDÁRIO COM GREGOS

A última edição da revista “Il Venerdi” que acompanha o jornal italiano “La Repubblica” trouxe uma matéria curiosa sobre um tema aparentemente banal: calendário. Para homenagear camponeses e pastores suiços, uma revista fez calendários trazendo modelos gregos! Uma outra revista descobiru e denunciou…. a confusão foi armada. Leia a matéria:

Suíça revoltada: camponeses gregos em seu calendário

Simona Verazzo

Il Venerdi, La Repubblica

Um calendário pode ser uma coisa seríssima, sobretudo se a proposta é representar um povo e suas tradições. E se ainda se tratar de pessoas que valorizam muito a própria cultura como os camponeses e pastores helvéticos, estão em pé de guerra desde quando viram que para compor um calendário “deles” foram utilizados modelos estrangeiros. Distribuído pela revista Shweiser Bauer (Caponês suíço), o Bauernkalender  & Alpenboys 2014 chamou a atenção pela presença de modelos super sarados e sexy , distantes anos luz do camponês e do pastor médio. Mas o verdadeiro escândalo explodiu quando o jornal semanal 20 Minuten revelou que os modelos não suíços.

Dos treze rapazes fotografados (também aquele da capa), seis são modelos profissionais gregos. E como se não bastasse, esses deuses gregos, já haviam aparecido na publicidade de lingerie, a Modus Vivendi. Cereja em cima da torta: uma das cenas do calendário suíço de 2014 teria sido fotografada na Grécia e seria uma réplica do calendário de 2013 da mesma Modus Vivendi. Escreve, ironicamente, a 20 Minuten: o fulano que recolhe os tomates suíços se chama Lambros Danas, é um personal trainer e é grego.

Fácil imaginar a balbúrdia que se tornou esse caso em uma país como a Confederação Helvética muito ligada às suas tradições: os suíços sempre foram muito orgulhosos de sua cultura ligada ao campo e a pastoreio. Basta tomar o caso de Renzo Blumenthal, ex Mister Suíça de 2005 e hoje agricultor biológico que ficou “estupefato” com as revelações da revista.

Agora a história se espalhou e todo mundo que fazer parte. Pamela Fehrenbach, diretora da revista Shweizer Bauer, disse que “Gostaríamos de 12 genuínos camponeses suíços”. E Nathalie Rehak, de Bauernkalender, foi obrigada a explicar que a escolha de um calendário daquele foi feita para “permanecer em sintonia com o mercado”.  Esperam que andem bem na versão feminina, com camponesas belíssimas e, obviamente, com pouca roupa.

 www.repubblica.it

Rafael Vieira, 7.10.2013