NOVIDADE

COP26: AMBIENTALISTA SENEGALESA DENUNCIA ALTAS TAXAS EM GLASGOW

Jornal italiano Avvenire e sua cobertura sobre o summit do clima na Escócia. Fonte boa para acompanharmos esse momento de discussão planetária.

Em direção à COP26 / -15 dias. Preços em alta: um encontro para alguns em Glasgow
Lucia Capuzzi Sábado, 16 de outubro de 2021
A denúncia da ambientalista senegalesa Aissatou Diouf: “Corre o risco de ser acessível apenas a delegados e organizações de países ricos”

Uma gala para alguns. Esta poderia se tornar a cúpula da ONU sobre mudanças climáticas (COP26) em Glasgow devido ao alto custo de transporte e hospedagem, a que se somam as dificuldades de vacinação para os habitantes do sul do planeta. Isso foi relatado por Aissatou Diouf, coordenador senegalês da Rede de Ação do Clima da África Ocidental, da qual mais de cinquenta associações ambientais são membros. “Com essas taxas, o evento corre o risco de ser acessível apenas a delegados e organizações de países ricos”, disse o coordenador.

Nos últimos meses, Glasgow viu os preços de pousadas, hotéis e passagens aéreas subirem exponencialmente nos dias da cúpula. Um quarto normal passou a custar 700 euros por noite. E nos próximos dias pode subir novamente. Portanto, não é surpreendente que metade dos delegados africanos ainda não tenha certeza de que podem participar da COP26, como reconheceu Tangouy Gahouma-Bekale, presidente do grupo de negociação do continente. No entanto, principalmente ativistas e representantes da sociedade civil estarão ausentes. Incluindo uma das caras mais conhecidas das sextas-feiras para o movimento futuro: a jovem ugandesa Hilda Flavia Nakabuye. “Só os jovens que contam com a ajuda de grandes ONGs – disse – poderão chegar a Glasgow”.

Texto original

https://www.avvenire.it/mondo/pagine/africani-glasgow