LI, VI, OUVI, ESCREVI

FUNDADO UM NOVO TIME NA ARGENTINA EM HOMENAGEM AO PAPA

Em Buenos Aires, nasce um time com o nome do pontífice argentino e começa goleando.

PAPA FRANCISCO FOOTBALL CLUB, TORCER PARA CRER

Il Venerdi, La Repubblica, 28.02.2014

Nunca, talvez, um papa esteve tão ligado ao futebol como Francisco. Ele mesmo já definiu o futebol como “um dom de Deus” e a sua paixão por esse esporte continua a ser aquela de quando era criança e ia ao estádio do San Lorenzo, de Buenos Aires, o Gasometro, exatamente ali onde ele viu o gol de Pontoni que em 1946 conquistou o campeonato com o seu time. Seus compatriotas argentinos não podiam fazer menos do que lhe dedicar um todo um clube, depois que o ex cardeal Bergoglio se tornou o pontífice. Chama-se Club Deportivo Papa Francisco e foi fundado por um grupo de jovens de Quilmes, um populoso distrito da capital argentina, onde é produzida a homônima cerveja consumida no Pais inteiro. Como se lê no jornal online Lanoticia.com, tudo começou coma ideia de Jorge Ramirez, um rapaz de 26 anos, atual presidente do clube, que teve uma iluminação durante a viagem do Papa ao Rio de Janeiro: “Vendo a TV com um grupo de amigos, comentamos que Francisco representava o quanto nós queríamos ser. E nós não só falamos de futebol, mas de ajudar as pessoas das periferias e ajudar os meninos de rua”.

Desse modo, os membros do clube de Francisco começaram a jogar numa divisão menor da federação de futebol argentina e participaram do campeonato de Luján, a cidadezinha onde se localiza a Basílica e um famoso santuário de Nossa Senhora. A primeira partida foi, para eles, uma goleada. Os rapazes do clube cresceram com a doutrina católica e fé na bola, muitas vezes unidas no futebol sul-americano, e em cada detalhe, reproduzem a admiração pelo pontífice. A camisa, por exemplo, é amarela e branca como a bandeira do Vaticano e tem o símbolo da Caritas argentina. Eles sonham de vencer o campeonato e de, um dia, construírem um estádio para convidar Francisco que, certamente, não os deixará sem uma benção.

Como treinador foi escolhido um ex-jogador de experiência, Horacio Acosta, um zagueiro que no passado jogou em vários times, entre eles, dois grandes clubes da capital federal, o Boca Juniors e o All Boys. “Há jogadores interessantes, que cresceram em times da primeira divisão (Serie A), e que vão chamar atenção”, promete o técnico. O time já conta com um grupo de torcedores que chamam o clube de Santo (obviamente se referindo ao Santo Padre), fazendo assim uma homenagem ao pontífice e que tem um atualizadíssimo perfil no facebook.

Tudo esta acontecendo em um momento especial para o Papa esportivo. O seu San Lorenzo triunfou no torneio inicial , o correspondente ao primeiro turno dos campeonatos europeus. “Vencemos com 33 pontos , idade de Cristo”, declarou o presidente Matías Lammens, sublinhando o laço entre ao time e Francisco. Não foi por acaso que o San Lorenzo foi fundado em 1908 pelo sacerdote salesiano, Lorenzo Massa. E o Papa poderia até ir ao próximo mundial no Brasil. A presidente Dilma disse que quer convidá-lo.

www.repubblica.it

Rafael Vieira, 7.3.2014