LI, VI, OUVI, ESCREVI

INTRODUÇÃO AO BLOG

Há muito tempo que ando cultivando o plano de registrar em algum lugar, com certa regularidade, ideias interessantes que estão presentes em matérias que leio e estão publicadas em várias revistas. Sou apaixonado por esse tipo de coisa porque os textos unem elementos importantes do jornalismo: informação com apuração mais cuidadosa, análise que requer visão global significativa e leveza na linguagem da apresentação. Essas características garantem, para mim, um bom texto, algo no qual se pode confiar.
Sou eclético como leitor e o mercado de revistas é rico, plural e intrigante. Gosto de ver uma bela matéria de jardinagem do mesmo modo que aprecio ler uma de política naquelas revistas com perfil editorial ideológico mais próximo da minha visão de vida e de mundo. Meu conceito de inteligência se esconde por detrás da simplicidade em descobrir ângulos novos, juntar peças, arriscar opiniões em meio à apresentação de dados técnicos. Desse modo, a seleção do material desse blog vai respeitar apenas o critério da inteligência entendida nesses termos.
Chegou a hora de colocar meu plano em ação e compartilho essas matérias com você, prezado internauta, com a sincera reverência pela sua liberdade em se expressar quando achar que mereço uma comentário da sua parte. Não tenho nenhuma outra pretensão que não seja aquela de exorcizar um demônio que se apossa de mim quando leio uma dessas matérias realmente interessantes em alguma revista de atualidades: ele me obriga a sair contando aquilo nas conversas e nas mensagens.
Se é do seu agrado, bom proveito!
Rafael Vieira Silva, CSsR
Roma, 2 de setembro de 2013