LI, VI, OUVI, ESCREVI

NOBEL DA PAZ VAI À GUERRA

O jornal italiano “Corriere della Sera” publica 2 revistas por semana. Em matéria postada às 17:58, desta quarta-feira, 4 de setembro, o jornal apresentou declarações de Barack Obama a respeito da Síria que sinalizam que ele pode pode autorizar o ataque. Leia o que disse o presidente americano, em Estocolmo, na Suécia:

“É difícil de fazer coisas contrárias a suas inclinações pessoais. Eu prefiro ter que pensar em como melhorar a vida das crianças, em vez de como protegê-los do gás tóxico. Mas não dar um passo para trás: onde quer que eu vá no mundo, a primeira coisa que me perguntam é o que faz a América quando há um massacre em qualquer lugar se é Ruanda, Serra Leoa, Kosovo e, agora, a Síria”.

“É a parte mais difícil do meu trabalho. E  torna-se mais e mais a cada dia que passa, mas é minha responsabilidade e eu não posso voltar atrás. Não fazer nada não iria me colocar em uma melhor condição moral. Não fui eu a traçar a ‘linha vermelha’, mas é o mundo quando os governos que representam 98 por cento da população mundial decidiram colocar um fim ao terror e a barbárie de armas químicas”.

“Se vocês estão ofendidos com a matança de inocentes, com o massacre das crianças pelo gás, o que vocês fazem? Usam a diplomacia? Nós tentamos, sem sucesso. Neste ponto, ou simplesmente desistimos ou vamos intervir com uma resposta significativa”.

Foto e declarações no site do Corriere

www.corriere.it

Rafael Vieira, 4.9.2013