NOVIDADES

O SEGREDO DO URUGUAI: CONTÁGIO REDUZIDO A ZERO SEM LOCKDOWN

A página do Facebook do jornal italiano “Avvenire” trouxe hoje um breve estudo de caso publicado no jornal com o título: “Todos estudam o segredo do Uruguai: contágio reduzido a zero sem lockdown“. A matéria é de Lucia Capuzzi.

Com 847 infecções e 23 vítimas, é uma exceção no continente, epicentro da pandemia. O plano sanitário do governo é baseado nos testes em massa, porta a porta e em campanhas de sensibilização.

Sempre o chamam de a “Suiça da América Latina”. Desta vez,porém, o Uruguai bateu com folga, a mestra. Enquanto a Confedereção Helvética registrou 34 mil casos de Covid, o país latino-americano parou nos 847. E não é só isso, nos territórios suiços se registram um número grande contagio por dia e do dia 4 de junho, o Uruguai alcançou a “cota zero”: nenhum novo doente foi registrado em mais de uma semana. As vítimas, até agora são 23. Claro, trata-se de uma nação pequena e pouca população, são apenas 3,5 milhões de habitantes. Em prospectiva, no entanto,a taxa de mortalidadeé 0,6 por grupo de 100 mil pessoas, contra 12,2 do Brasil, 4,5 do Chile, e 1,1 da Argentina, do outro lado do Rio da Prata. Segundo os dados preliminares do Ministério da Saúde, nos primeiros meses de epidemia, de 13 de março a 17 de maio, foram mais de 1.500 mortes a menos em relação ao mesmo período do ano anterior. E a redução da mortalidade geral parece prosseguir nas últimas semanas. E tudo isso enquanto os países vizinhos – o Brasil em primeiro lugar – enfrentam o momento mais dramático da pandemia da qual o continente é o epicentro como continua a repetir a a Organização Mundial da Saúde (OMS). A exceção uruguaia resulta ainda mais supreeendente à luz da estratégia adotada por Montividéu. O governo do novo presidente Luis Lacalle Pou se recusou decretar a quarentena obrigatória, não obstante as pressões da oposição e do ex presidente Tabaré Vásquez, que é médico.

[…] a primeira coisa que o presidente fez foi criar uma Comissão especial de consutores científicos para a gestão da emergência… […] fechou as fronteiras e suspendeu as aulas, funções religiosas, eventos esportivos e manifestações artísticas. Diferente dos outros, porém, Montivedéu não impôs o confinamento obrigatório, mas convidou os cidadãos – com uma forte campanha de sensibilização – a ficar em casa. E, segundo as últimas revelações, 90% das pessoas atenderam o pedido, se bem que um terço da população não renunciou a reuniões familiares. O comércio e as atividades econômicas, em grande parte, pararam. A senha do plano uruguaio foi a domicílio: foram feitos 41 mil testes por milhão de habitantes, o triplo em relação a Argentina, Brasil e Paraguai.

Leia o texto na íntegra:

https://www.avvenire.it/mondo/pagine/tutti-studiano-il-segreto-delluruguay-contagi-ridotti-a-zero-senza-lockdown

(Foto do jornal)