NOVIDADES

PROFÉTICO MANIFESTO SOBRE DEUS DE UM SACERDOTE HONDURENHO

Um dia desses, publiquei aqui um artigo escrito por um padre italiano sobre abjuração. Era um artigo publicado há vários anos. Hoje, trago uma espécie de atualização daquele artigo feito por Pedro Serrano Garcia, um sacerdote de Honduras e publicado neste final de agosto no portal espanhol Religião Digital. Acho que vale a pena conferir.

Manifesto sobre Deus

Pedro Serrano Garcia

De acordo com a Bíblia e a experiência humana, é evidente que ninguém jamais viu DEUS. Com acertos e erros, ao longo da história nós, seres humanos, procuramos conhecer a imagem autêntica do Supremo transcendente; mas provar sua existência ou não existência está além da capacidade de crentes e não crentes. Porém, o Magnífico desconhecido pode ser adivinhado por trás do caso e dos milhões de trilhões de coincidências dados para que exista o impressionante universo em expansão com seus bilhões de galáxias, a vida maravilhosa que se manifesta em milhões de espécies e, acima de tudo, o admirável humanidade composta de seres humanos inteligentes e livres. Da mesma forma, parece claro que nós, crentes, temos diferentes concepções sobre o Ser Supremo, algumas estão erradas ou alienantes, e outras são corretas e apoiam. Diante dessa diversidade de natureza divina:

Me declaro ateu com respeito ao Deus do dinheiro, que divide os seres humanos em classes sociais, condenando os pobres à miséria e privilegiando os ricos na opulência.

Eu me declaro ateu em relação ao Deus indiferente, que olha impassível como os homens sofrem, lutam e lutam em defesa de seus interesses e de suas ideologias, sem intervir na história para que a harmonia entre os povos resplandeça no respeito da média meio Ambiente.

Me declaro ateu perante o Deus guerreiro, partidário de poderosos e grandes potências que praticam a violência armada, a exploração econômica, a colonização política e a pilhagem de povos em desenvolvimento.

Me declaro ateu perante Deus Juiz, que pune quem pecou (ainda que por engano, fraqueza ou ignorância na sua marginalidade); enquanto recompensa os autoproclamados puros (mesmo que pratiquem elogios formais sem amor ao próximo ou compaixão pelos menos favorecidos).

Eu me declaro ateu em relação ao Deus individualista, que favorece a espiritualidade e a salvação pessoal e não leva em conta a comunhão fraterna com os cidadãos e os sem-teto.

Me declaro ateu em relação ao Deus autoritário, que consagra hierarcas e padres, subestimando leigos e mulheres como crentes de segunda classe.

Me declaro ateu em relação ao Deus dogmático, que se manifesta em uma única igreja verticalista, rejeitando as outras igrejas como erradas, as outras religiões como pagãs e as culturas agnósticas como desprezíveis.

Mas, como humilde e imperfeito discípulo de JESUS, atrevo-me a dizer:

Acredito no Deus de amor, que acolhe justos e pecadores, ateus e crentes, ignorantes e sábios como seus filhos e filhas, infundindo no homem a luz da comunidade e da fraternidade universal entre os homens e os povos.

Acredito no Deus da Vida, que encoraja as comunidades a compartilhar os bens da criação e da produção humana em sociedades justas, pacíficas e humanitárias, onde as crianças, os idosos, os doentes e os marginalizados têm prioridade.

Acredito no Deus dos pobres, que incentiva homens e mulheres conscienciosos a construir o Estado Democrático de Bem-Estar, superando a sociedade de classes, favorecendo a libertação do trabalho empobrecido e digno e justamente remunerado para todos.

Creio no Deus manso e humilde, que, privado de todo poder e riqueza em Cristo, exalta os simples e enche os famintos em seu Reino fraterno, enquanto se aflige porque os poderosos e os ricos preferem idolatrar o dinheiro e o domínio.

Creio no Deus das Bem-aventuranças, que faz felizes as classes pobres, as pessoas e comunidades solidárias e perseguidas para a promoção da justiça, enquanto devemos sentir pena dos homens emaranhados em suas riquezas, privilégios e dominações que causam tantos males e sofrimentos no mundo .

Acredito no Deus universal, que ama imensamente cada ser humano, seja qual for sua religião, raça, cultura, nacionalidade e gênero, promovendo a luta pacífica entre seus discípulos porque todos os seres humanos são iguais em dignidade e direitos, recebendo de acordo com nossas necessidades e contribuindo de acordo com nossas habilidades.

Acredito em Deus Salvador, que infunde permanentemente nos humanistas e profetas a força para libertar os oprimidos das classes dominantes e seus colaboradores, ao mesmo tempo que se manifesta como salvador dos justos e pecadores, dos passivos e comprometidos, dos exploradores e dos de suporte.

Por tudo isto e dado o meu caráter falimentar, confio na imensa misericórdia de DEUS-PAI que, como o filho pródigo, me perdoa e me acolhe paterna e maternalmente, apesar dos meus erros e falhas.

Texto original:

https://www.religiondigital.org/opinion/Manifiesto-Dios-sociales-condenando-empobrecidos-iglesia-religion-ateos_0_2262673725.html

Imagem do portal