NOVIDADES

TRAGÉDIA: MULHERES GRÁVIDAS AFOGADAS NO MEDITERRANEO

Caminhamos para o fim do ano com tragédias simbólicas: quatro mulheres grávidas perdem a vida afogadas no Mediterraneo no movimento louco para fugir da pobreza. A notícia está no jornal italiano Avvenire.

MIGRANTES

Naufrágio na costa da Tunísia: massacre de mulheres, 4 grávidas

Escritório editorial da Internet sábado, 26 de dezembro de 2020

20 corpos recuperados, apenas um de um homem. O barco, em más condições, transportava 37 pessoas da Tunísia e da África Subsaariana. Quatro sobreviventes, os 13 desaparecidos são procurados

As 20 pessoas encontradas mortas na costa da Tunísia após o naufrágio do barco a bordo que tentavam atravessar o Mediterrâneo para a Itália eram quase todas mulheres (um homem). E quatro das 19 mulheres estavam grávidas. A informação foi relatada por Mourad Torki, porta-voz do tribunal da região de Sfax, no centro da Tunísia. O naufrágio ocorreu na quinta-feira, véspera do Natal. As buscas continuam na tentativa de encontrar 13 outras pessoas que estão desaparecidas. Ainda de acordo com os dados fornecidos pelo porta-voz, outros quatro migrantes foram resgatados: um continua em observação médica e outro fugiu do hospital.

O barco, sobrecarregado e em más condições, transportava 37 pessoas, três das quais originárias da Tunísia e as demais da África subsaariana, disse o porta-voz do tribunal regional de Sfax. Os barcos da Guarda Costeira da Tunísia e dos mergulhadores da Marinha, engajados na pesquisa, não encontraram ontem outros corpos ou sobreviventes. Há ventos fortes e ondas altas na área. Os vinte corpos foram recuperados por agentes da Guarda Costeira e pescadores locais, que os trouxeram para terra e os transferiram em sacos brancos para um hospital próximo, onde foram realizadas autópsias.

As autoridades tunisinas afirmam ter interceptado recentemente vários barcos carregados de migrantes, e também observam que o número de tentativas de saídas ilegais está crescendo, principalmente entre a região de Sfax e a ilha de Lampedusa.

Os barcos de migrantes muitas vezes partem das costas da Tunísia e da vizinha Líbia, com pessoas do resto da África a bordo. Recentemente, um número crescente de tunisianos também se juntou a estes, fugindo das dificuldades econômicas que o país atravessa.

Texto original:

https://www.avvenire.it/attualita/pagine/migranti-naufragio-largo-tunisia-vittime-donne-incinte

foto: jornal\ansa