LI, VI, OUVI, ESCREVI

VATICANO DESMENTE TELEFONEMA DO PAPA A BASHARA ALASSAD

Duas revistas semanais são mantidas pelo grupo do Jornal “Corriere della Sera”. Nesta quinta-feira, 5 de setembro, o site principal do Jornal desmentiu matéria publicada no “Clarin” de Buenos Aires. O autor do texto é amigo e biógrafo de Bergoglio e garante ter fontes do Vaticano. Ele afirma que o Papa Francisco teria conversado, nas últimas horas, com o presidente da Síria Bashar Al Assad. Procurei o texto do jornal portenho e reproduzo  o lead:
“Parece claro que o Papa Francisco quer ter um papel maior no cenário internacional do que o seu predecessor, Bento XVI. Sinais eloquentes suas exortações insistentes para uma solução negociada para o conflito com a Síria e o convite para este sábado para um dia de jejum e oração pela paz naquela nação. Neste contexto, fontes do Vaticano disse ao Clarin que o pontífice estaria tomando um papel mais direto: Jorge Bergoglio apropriou teria comunicado nas últimas horas com o presidente sírio, Bashar Al Assad, para pedir -lhe para parar, tanto quanto possível, a repressão contra os rebeldes e adotar uma atitude mais conciliatória”.
Veja a o esclarecimento do “Corriere”:

“O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, nega que o Papa tenha telefonado ao ditador sírio Assad. A notícia publicada no jornal argentino Clarin assinada por Sergio Rubin, amigo e biógrafo do papa Francisco. O que ocorreu, na verdade, nesta quinta-feira, foi um comunicado do secretário de Estado do Vaticano aos embaixadores dos 179 governos credenciados junto a Santa Sé mostrando os esforços feitos pelo Papa Francisco em seus contatos com os líderes de diferentes países.
Foto / www.corriere.it
Rafael Vieira, 5.9.2013