LI, VI, OUVI, ESCREVI

VOCÊ PODE FALAR O QUE QUISER AO PAPA

A revista “Reality” publicada pelos missionários redentoristas irlandeses traz na última edição uma matéria interessante na qual propõe que a pessoa diga o que ela falaria ao Papa Francisco se pudesse ter uma audiência particular de 20  minutos com eles e estivesse livre para falar o que quisesse. Retirei alguns trechos da matéria assinada por Sue Leonard.

Imagine se você recebesse a oportunidade de ter uma audiência de 20 minutos com o Papa Francisco podendo falar com ele sobre o que você quisesse, o que você estaria mais interessado em dizer a ele? Quatro pessoas nos responderam essa pergunta.

Francis Gardneruma paroquiana de Dublin, advogada aposentada e ministra da Palavra e da Eucaristia.

Embora eu acredite em Cristo, gostaria que o sacerdócio na igreja não excluísse as mulheres e os padres casados​​, e eu gostaria de deixar estas questões para os teólogos. Eu iria, ao contrário, implorar ao Papa Francisco para reformar, dentro das estruturas atuais, os padrões de participação e de prática na Igreja para que todos pudessem realmente abraçar a lei de Deus, como quis Cristo. Portanto, gostaria de pedir-lhe que considerasse um novo caminho para a prática dos católicos.

Noel O’Sullivan, líder do Teen Spirit, uma organização que celebra os dons da fé com adolescentes.

Eu particularmente gostaria de pedir-lhe para investir no ministério de jovens na Irlanda e em outros lugares. Ministérios como Youth2000 e Ten Spirit que dependem de doações e têm orçamentos pequenos. Eu gostaria de ver esses movimentos realizar o seu potencial, em vez ficar lutando com seus pequenos orçamentos. Também gostaria que houvesse voluntários adultos que dedicasse mais tempo em projetos religiosos, como retiros e concertos que falem a linguagem dos jovens.

Mariana Hoffart Dias, uma brasileira de 29 anos que vive em Dublin há três anos e faz parte do movimento Pure in Heart.

Há coisas que eu sempre quis dizer ao Papa. Eu tenho certeza que é o mesmo que todos nós gostaríamos de dizer. Eu imagino que ele, as vezes, fica solitário. Eu diria a ele que sempre que ele tiver algum problema e se sentisse sozinho, que ele contasse sempre com nossas orações e com o nosso amor.

Liam Lawton, padre, compositor e cantor.

Gostaria de pedir-lhe para escrever uma nova encíclica, com base na compaixão. Essa foi uma característica mais importante do ministério de Jesus. É vital que se afirme isso porque nos últimos 200 anos, muita gente ficou machucada e marginalizada e, por isso, se afastou da igreja. Essas pessoas sentem que não têm voz na igreja nem no resto do mundo. Elas se sentem excluídas.

www.redcoms.org

Rafael Vieira, 16.9.2013